Quinta-feira, 24 de Março de 2011

No país dos egos, Sócrates deitou-se na cama que havia feito quando ignorou a oposição e o Presidente da República. Sócrates diz aquilo que em consciência deveria ter dito na noite da "vitória" socialista nas últimas legislativas. Que não tem condições de governar o país. No entanto as palavras que sairam da sua boca foram «a oposição retirou ao governo todas as condições para continuar a governar».

 

Sócrates, igual a si próprio, remete para o outro a culpa da sua própria impotência. De não conseguir negociar com quem pensa diferente. Quando em Setembro de 2009, sorridente transvestiu uma "maioria" isolada como um insistente sim dado pelo povo pela continuação das suas políticas.

 

A tal oposição que retirou ao PS as condições de governar foi o povo que votou maioritariamente nos partidos da oposição. O povo deu a quem "perdeu" voto de confiança a essa mesma oposição para que regulasse este governo. Sócrates não entendeu isso. Uma vitória em política não se dá quando se ganha por um, mas quando se ganha a possibilidade de formar um governo estável. Sócrates não o fez.

 

Mas Sócrates não morreu politicamente, como nos diz o "Economist". Sócrates não desiste de querer mostrar a todos e a si próprio que ele é o homem certo no momento certo. Mesmo depois de ter vivido o pesadelo de ontem.

 

Não existe um paralelismo do governo socialista que se demitiu em Abril de 2002 com o governo de Sócrates. António Guterres, apesar de todos os seus defeitos, sabia reconhecer as suas incapacidades. Sócrates não!



publicado por Marco Moreira às 08:34
 
redes e bio do autor

                                   

 

Bio de Marco Moreyra

pesquisar neste blog
 
ligações