Sexta-feira, 25 de Março de 2011

Já dizia Sócrates (o Filósofo) "Deixe quem desejaria mudar o mundo mudar-se primeiro a si mesmo". Pedro Passos Coelho apresentou ontem em Bruxelas um documento onde garante que irá respeitar os limites do défice através de medidas semelhantes aos do PEC que acaba de inviabilizar. Por isso mesmo, não se compromete relativamente à eventual necessidade de aumentar a taxa de IVA para os 25% (!), facto que deixou os seus colegas de partido desconfortáveis com aquilo que consideram ser o seu primeiro tiro no pé.

 

Mais que um tiro no pé é a contradição flagrante daquilo que o próprio Pedro Passos Coelho escreveu no seu livro "Mudar" onde advoga que "uma subida das taxas de IVA permitiria uma rápida receita fiscal que poderia impedir o corte ou congelamento das pensões, mas arrisca-se a penalizar sobretudo os rendimentos mais baixos, contrariamente ao que pretendem os dirigentes do PSD."

 

Ainda a procissão vai no adro e as diferenças entre Passos Coelho e Sócrates (o Político) já se mostram tão reduzidas quanto o tempo que se leva a mudar de opinião em política.



publicado por Marco Moreira às 08:17
 
redes e bio do autor

                                   

 

Bio de Marco Moreyra

pesquisar neste blog
 
ligações