Sexta-feira, 24 de Junho de 2011

Ainda que toda a gente saiba que "estar morto é o contrário de estar vivo" a Maria Filomena Mónica decidiu escrever um ensaio sobre isso. A apresentação terá lugar na sala Luís de Freitas Branco do CCB, dia 30 de Julho às 18:15 horas.

 

Sinópse:

 

«É provável que eu morra nos próximos dez, quinze anos. Tenho filhos e netos, amei e fui amada, escrevi livros, ouvi música e viajei. Poderia dar-me por satisfeita, o que não me faz encarar a morte com placidez. Se amanhã um médico me disser que sofro de uma doença incurável, terei um ataque de coração, o que, convenhamos, resolveria o problema. Mas, se isso não acontecer, quero ter a lei do meu lado. Gostaria que o debate sobre as questões aqui abordadas, o testamento vital, o suicídio assistido e a eutanásia, decorresse num clima sereno. Mas teremos de aceitar a discussão com todos os opositores, mesmo com aqueles que, por serem fanáticos, mais repulsa nos causam. Que ninguém se iluda: a análise destes problemas é urgente.»



publicado por Marco Moreira às 11:21
 
redes e bio do autor

                                   

 

Bio de Marco Moreyra

pesquisar neste blog
 
ligações