Quinta-feira, 25 de Agosto de 2011

Um grupo de pessoas livres lançou um boicote ao jornal SOL numa rede social, por causa do artigo que José António Saraiva escreveu entitulado "Dois maridos". Ainda que comecem por esclarecer que a opinião é livre e que a democracia é feita de opiniões contraditórias e de visões e valores opostos, eis que se desenvolve a indignação em forma de boicote:

«Este texto de opinião é um hino à ignorância e ao desrespeito pelos direitos dos demais em democracia. O tom jocoso da opinião, a linearidade acéfala dos argumentos, o barroco conservadorismo¹, o atraso intelectual da visão do que deve ser uma sociedade europeia leva a questionar sobre a qualidade jornalística de um semanário liderado por este senhor.»

De salientar também o mote paradoxal ao estilo radical-passivo:

«A resposta livre a este texto livre deve ser um boicote à próxima edição do Sol². Eu vou boicotar o semanário Sol. O meu dinheiro nunca mais»

 


Notas:

 

¹ Talvez se refiram aos conservadores de obras de Rembrandt, Caravaggio, etc.

² Se o boicote é dirigido somente à próxima edição para que serve o advérbio "nunca" no final?

 


ACTUALIZAÇÃO

 

Agradecendo antes de mais o destaque em forma de questão que o Blogs do Sapo colocou no seu site, aqui ficam as definições:

 

censurar ..... boicote

v.tr.

 

1. Exercer censura sobre

2. Criticar, Condenar, Repreender

 

s.m.

 

1. Acto ou efeito de boicotar

2. Cessação voluntária de todas as relações com algo ou alguém.

 

Ainda que seja claro que não são sinónimos, as diferenças não são assim tão óbvias. E julgo que podemos concordar que também é possíver censurar em democracia, certo?

 




publicado por Marco Moreira às 13:31

«Uma obra de arte que se preocupa mais  em transmitir uma mensagem do que em comprazer o seu auditório é certamente defeituosa» Roger Scruton in "Beleza"

Alguns agentes da blogosfera irudita parecem viver amedrontados com a fantasma da censura, mesmo quando esta não é chamada à equação. O episódio da seguradora que cancelou uma exposição de c*ralhos do artista¹ João Pedro Vale por, segundo este, se tratar de “uma questão de homofobia” (!) parece-me bem mais um daqueles casos de propaganda ao estilo do "fruto proibido é bem mais apetecido", do que propriamente um caso de censura e/ou homofobia.

 

É natural que os artistas de hoje não consigam reproduzir a arte do Renascimento e julgo que ninguém os obriga a esse patamar. Mas parece-me que desculpabilizar a falta de talento com originalidades ocas e divinizar o grotesco ou o amoral², não é razão suficiente para alguém considerar um balde de urina com um crucifixo como uma forma de arte, ainda que um artista tenha já tentado fazê-lo.

 

Apesar dos limites da arte estarem longe de ser estandardizados, parece-me que um episódio de quebra de contrato entre um artista e seu mecenas, pouco ou nada tenha a ver com arte ou censura.

 


¹ ter em atenção que não coloquei aspas

² não confundir com imoral


tags: , ,

publicado por Marco Moreira às 12:11
Quarta-feira, 27 de Abril de 2011

EU E OS PUTOS

 

Metropolitano, Linha azul, Pontinha. Dois adolescentes "lingrinhas" estão à minha frente em pé. Sentado toco na perna de um.

 

Eu: Oi, tens as cuecas à mostra.

Puto 1: Hmm?! (pausa) Ya, usa-se agora sabias?

Eu: Pois, mas estão rotas...

Puto 2: Baza, o gajo tá a gozar contigo.

Eu: Queixinhas!

 

NOTA: Baseado em factos verídicos.



publicado por Marco Moreira às 15:04
Segunda-feira, 18 de Abril de 2011

Pouco depois das televisões filmarem José Sócrates a fazer testes de som e imagem em São Bento, antes de se dirigir ao País, a TVI fez circular um e-mail a informar que as referidas imagens não deviam ser utilizadas.

 

Manuela Moura Guedes, igual a si própria, condena desta forma a censura na sua página do Facebook:

 



publicado por Marco Moreira às 00:32
 
redes e bio do autor

                                   

 

Bio de Marco Moreyra

pesquisar neste blog
 
ligações